26 outubro 2021
26 out 2021

“Pronto para servir onde sou mais necessário e onde tenho mais para oferecer”

“Pronto para servir onde sou mais necessário e onde tenho mais para oferecer”
No dia 16 de outubro, sábado, Martti Savijoki foi ordenado diácono na Igreja de Santa Maria em Helsenki (FIN). A celebração foi presidida por Dom Teemo Sippo, bispo dehoniano. Foi um evento especial, não apenas por causa da celebração em si, mas porque Martti é o segundo religioso finlandês da congregação. Fizemos-lhe algumas perguntas.
email email whatsapp whatsapp facebook twitter versão para impressão

Quais são as palavras e ações que mais o impressionaram durante a celebração da ordenação diaconal?

Na segunda leitura da liturgia da ordenação ouvimos que os apóstolos esperavam que os primeiros diáconos fossem cheios do Espírito Santo e de sabedoria. Este também é meu grande desejo, embora esteja consciente das minhas limitações. Mais uma vez, foi impressionante prostrar-me, embora eu já o tivesse experimentado na celebração dos votos perpétuos. Foi para mim uma expressão de total entrega para onde Deus quiser me levar. Também a imposição de mãos foi uma bela experiência, assim como a oração de bênção. Eu senti que algo especial realmente aconteceu ali. Após a liturgia da ordenação, pude encontrar e celebrar com muitas pessoas que são importantes para mim e para o meu caminho. Felizmente, a situação da covid-19 na Finlândia era tal que isso era possível.

Agora você está completando sua formação filosófico-teológica em Freiburg, Alemanha. Você tem vivido em uma comunidade internacional. Como você vivenciou este tempo com outros confrades de outros continentes?

Viver com pessoas muito diferentes de outras culturas e de diferentes faixas etárias certamente me ajudou a crescer como pessoa. Lembro-me de ser um pouco rígido ou rigoroso no início. Mas acho que aprendi a aceitar e respeitar cada vez mais as diferenças. Em todo caso, achei muito inspirador viver com pessoas de origens muito diferentes. Compartilhamos muitos momentos felizes juntos e nos ajudamos mutuamente em vista de uma boa integração.

Para o seu mestrado você escreveu uma monografia sobre o tema dos milagres. Por que você escolheu este tema e a que conclusões chegou?

Os milagres são um tema controverso na teologia contemporânea. Na Alemanha, muitos teólogos os veem com uma atitude bastante cética. A razão disto não ficou clara para mim durante meus estudos, porque o assunto não foi realmente discutido. Isto me deixou curioso para explorar a possibilidade de milagres e seu significado teológico. Agora, parece-me claro que não existem verdadeiros obstáculos filosóficos ou teológicos à possibilidade de milagres, mesmo de tais milagres que “violam” as leis da natureza. O que mais impede as pessoas de aceitar esta possibilidade é uma visão de mundo estreita e ultrapassada. Que por vezes os milagres aconteçam é até bastante provável, se houver um Deus Todo-Poderoso que possa fazer milagres. Para Ele, os milagres são uma oportunidade de se comunicar de maneira especial com suas criaturas e mostrar-lhes seu amor.

Pensando na Finlândia, como será seu futuro?

Durante o próximo ano, ficarei na Alemanha para a formação pastoral. Depois disso, voltarei para a Finlândia. Os dehonianos têm duas paróquias na Finlândia e creio que serei inserido aí, ganhando experiência pastoral para começar. Sinto-me chamado a servir em meu país de origem, mas pertenço a uma Congregação internacional na qual estou pronto para servir onde sou mais necessário e onde tenho mais para dar. Durante meus estudos teológicos também tive muito pouco tempo para a música, que é um dom que acho que deveria usar mais. Vou tentar encontrar as melhores maneiras de integrá-la com meu ministério e com a missão da Congregação.

Inscreva-se
na nossa newsletter

SUBSCREVA

Siga-nos
nos nossos canais

 - 

Inscreva-se
na nossa newsletter

Leia a Política de Privacidade e escreva para