07 setembro 2022
07 set 2022

Expressões dehonianas de sinodalidade na partilha carismática: a Família Dehoniana

Expressões dehonianas de sinodalidade na partilha carismática:  a Família Dehoniana
Desde 2001 a Família Dehoniana tem colocado em prática a sinodalidade. Ela se expressa através da colaboração na mesma missão e através do espírito de comunhão, cooperação e corresponsabilidade.
por  Artur Sanecki, scj
email email whatsapp whatsapp facebook twitter versão para impressão

Uma das intuições originais de P. Dehon, o fundador dos dehonianos, dizia respeito à colaboração com os leigos. Não é por acaso que a Associação Reparadora, que envolvia os leigos e se dedicou à cooperação na espiritualidade e missão da Congregação, foi fundada no mesmo ano que a Congregação religiosa dos Oblatos do Sagrado Coração (1878).

As relações entre as diferentes vocações em torno do carisma dehoniano sempre foram marcadas pelo espírito de comunhão, cooperação e corresponsabilidade. Estes  elementos são importantes para compreender e colocar em prática o conceito de sinodalidade. As formas concretas de viver essas relações mudaram com o passar do tempo.

A compreensão atual desta realidade, que se concretiza na expressão “Família Dehoniana”, foi elaborada durante o período em que Pe. Virginio Bressanelli foi Superior Geral da Congregação (1991-2003). Sob sua direção, foram publicadas a Carta de Comunhão da Família Dehoniana (dezembro de 2001) e a Proposta de Vida para os Leigos Dehonianos.

A Família Dehoniana é constituída por três realidades:

  • a congregação dos dehonianos,
  • vários institutos seculares e congregações religiosas que surgiram em conexão carismática com o legado do Padre Dehon (muitas vezes através de seus fundadores, que eram religiosos dehonianos),
  • os leigos dehonianos.

Na visão pós-conciliar, para os dois últimos componentes (institutos/congregações e leigos) o ponto de referência não é mais a congregação dos dehonianos, mas diretamente a figura de P. Dehon e sua espiritualidade. Sua missão, portanto, consiste em atualizar e realizar o carisma de P. Dehon, que é dado à Igreja, no contexto de seu estado de vida (religioso ou laico).

Em vários lugares, os leigos dehonianos colaboram estreitamente em missão com membros da congregação dehoniana, mantendo assim uma clara referência não só à pessoa do P. Dehon, mas também à congregação por ele fundada. Deve-se notar também que a Carta de Comunhão confere à Congregação Dehoniana o papel de reconhecer a pertença à Família Dehoniana.

A Família Dehoniana está hoje presente em várias partes do mundo, principalmente no Brasil, Moçambique, Portugal, Espanha e Indonésia.

As congregações e institutos que abraçaram explicitamente a Família Dehoniana são: Compagnia Missionaria del Sacro Cuore (instituto secular fundado em Bolonha pelo P. Albino Elegante SCJ, no ano de 1957), Fraternidade Mariana do Coração de Jesus (congregação fundada pelo P. Aloísio Boeing SCJ, em Jaraguá do Sul, no ano de 1974), Missionárias do Amor Misericordioso do Coração de Jesus (instituto secular fundado pelo Pe. Giulio Gritti SCJ, em Massama, diocese de Lisboa, no ano de 1996) e Instituto Reparador (instituto secular fundado pelo Pe. Miguel Lopez SCJ, em Novelda). Entretanto, há também outras congregações que, embora não aderindo formalmente, se reconhecem em comunhão com o carisma dehoniano, como, por exemplo, os Soeurs de la Sainte Famille de Kisangani (Congo).

Os valores que caracterizam a sinodalidade são visíveis na forma como as relações são criadas e vividas entre os leigos, institutos e membros da congregação Dehoniana. As coordenações, em vários níveis da Família Dehoniana, são um laboratório para a comunhão de vocações e, portanto, de sinodalidade. A comunhão se expressa bem na partilha da espiritualidade, da formação e da missão (grupos de leigos dehonianos que estão em contato contínuo com seus irmãos dehonianos nas numerosas províncias dehonianas). Um bom exemplo do elemento de corresponsabilidade é a cooperação dos leigos com os membros da congregação dehoniana nas diversas formações ou obras sociais.

Para mostrar a criatividade do fenômeno da Família Dehoniana, é interessante mencionar a interessante situação na Espanha onde, ao mesmo tempo, temos a presença de dois tipos de interação entre a Congregação SCJ e os leigos. Por um lado, existem grupos da Família Dehoniana, que se concentram em compartilhar a espiritualidade e a oração. Por outro lado, há numerosos colaboradores leigos nas escolas que se reúnem nos grupos da Misión compartida, o que diz respeito à corresponsabilidade nas obras educativas da congregação SCJ.

Inscreva-se
na nossa newsletter

SUBSCREVA

Siga-nos
nos nossos canais

 - 

Inscreva-se
na nossa newsletter

Leia a Política de Privacidade e escreva para