17 novembro 2020
17 nov 2020

Nossas “Testemunhas” de santidade (I)

Causas de beatificação e canonização na nossa Congregação SCJ: P. Léon Dehon e P. André Prévot.

por  Ramón Domínguez Fraile, scj

email email whatsapp whatsapp facebook twitter versão para impressão

Na Exortação Apostólica “Gaudete et exsultate” sobre o chamado à santidade no mundo, o Papa Francisco afirma que: “O Espírito Santo derrama a santidade em todos os lugares, no santo povo fiel de Deus, porque ‘era a vontade de Deus santificar e salvar os homens, não isoladamente, sem ligação uns com os outros, mas constituindo um povo que o confessasse na verdade e o servisse na santidade’[LG 9]” (Gaudete et exsultate, 6).

É verdade que a santidade floresce e amadurece em cada nação, povo, língua,…; onde menos se espera. A santidade é algo que oferecido a todos, a cada um de nós. Todos nós somos chamados a ser santos. Mas nesse caminho para a santidade existem pessoas, homens e mulheres que nos ajudam a centrar nossas vidas em Deus, e assim, eles nos ajudam a sermos santos. Eles são nossos guias e mediadores. Eles são nossas TESTEMUNHAS.

Move-nos o exemplo de tantos sacerdotes, religiosas, religiosos e leigos que se dedicam a anunciar e servir com grande fidelidade, muitas vezes arriscando a vida e, sem dúvida, à custa da sua comodidade. O seu testemunho lembra-nos que a Igreja não precisa de muitos burocratas e funcionários, mas de missionários apaixonados, devorados pelo entusiasmo de comunicar a verdadeira vida. Os santos surpreendem, desinstalam, porque a sua vida nos chama a sair da mediocridade tranquila e anestesiadora” (Gaudete et exsultate, 138).

Em nossa Congregação existem “exemplos” que devemos imitar. Modelos e intercessores que são oferecidos a nós como caminho para chegar à santidade. Ao longo de vários artigos, vamos percorrer as suas vidas, para os conhecer mais e assim tê-los como “nossas próprias testemunhas”.

O convite não é apenas para conhecer sua vida, através de um breve perfil biográfico, mas o mais importante é senti-los como nossos protetores e orar por meio deles a nosso Deus. Que possamos invocar estes nossos modelos todos os dias e nos encorajar a seguir o Senhor Vivo e Ressuscitado que continua em nosso meio.

Nossos primeiros guias na Congregação: P. Léon Dehon e P. André Prévot

Neste artigo abordaremos duas figuras de testemunhas já no início de nossa Congregação. Naturalmente, apresento o nosso Fundador, Jean Léon Dehon, e o grande Mestre de Noviços, a respeito de quem o próprio P. Dehon se referia com impressões de santidade, André Léon Prévot.

Venerável Servo de Deus Jean Léon Dehon: “Pregar o Amor de Deus”

Léon Dehon nasceu em La Capelle (França), em 14 de março de 1843. Aos 21 anos, obteve o doutorado em direito civil em Paris, mas sua vocação não era a advocacia.

Pouco depois, e contra os planos de seu pai, ele foi a Roma para estudar teologia. Foi ordenado sacerdote na Basílica de São João de Latrão em 19 de dezembro de 1868. Foi testemunha direta do Concílio Vaticano I, do qual participou como estenógrafo.

Depois destes acontecimentos, ele retornou à diocese de Soissons (França), específicamente para a cidade e paróquia de San Quentin. Ali, viu a necessidade social e religiosa da cidade e realizou algumas iniciativas: Patronato de São José, Colégio São João, além da organização de um jornal. Assim, ele tentou amenizar as deficiências sociais que o cercavam.

Em 1878 fundou a Congregação dos Sacerdotes do Sagrado Coração de Jesus (SCJ). A ela, ele veio a dedicar o resto de sua vida e todos os seus esforços.

Morreu em 12 de agosto de 1925 em Bruxelas (Bélgica). Em seu testamento espiritual, ele doa um grande legado: “Deixo-vos o mais maravilhoso dos tesouros: o Coração de Jesus”.

Oração para pedir sua intercessão

Deus Pai Todo-Poderoso e Eterno,
que em vossos santos sempre operais coisas maravilhosas,
concedei que vosso fiel servo Léon Dehon que,
irradiando exemplos de virtude e zelo apostólico,
se aplicou à promoção da juventude
e a espalhar a devoção ao Sagrado Coração de Jesus,
seja elevado à honra dos altares;
e por sua intercessão, e unicamente para Vossa glória,
concedei-me a graça…,
que desejo ardentemente e Vos peço.
Amém.

Servo de Deus André Léon Prévot: “É preciso transbordar a medida da caridade”

Padre André Léon Prévot nasceu em Le Teil (França) em 9 de novembro de 1840. Em 1885 ingressou na Congregação dos Sacerdotes do Sagrado Coração de Jesus. Foi Mestre de Noviços e posteriormente Superior Provincial e Assistente Geral.

Ao longo de sua vida religiosa, ele se dedicou ao amor de Cristo e à reparação. Praticou mortificação; amou a vida interior e a oração contínua e foi movido por um zelo ardente pela salvação das almas. A união com Deus era um estado habitual em sua alma. P. Prévot tinha uma grande devoção à Eucaristia e a Maria. Abnegação e austeridade de vida foram nele harmonizadas com caridade, paciência, gentileza e bondade. Seus livros mostram sua fisionomia espiritual: um homem humilde, calmo e confiante.

Ele morreu em Brugelette (Bélgica) em 26 de novembro de 1913.

Oração para pedir sua intercessão

Coração de Jesus, nós vos adoramos e vos amamos
como fonte de graça e santidade.
Onde um raio de vosso amor repousa,
as mais belas virtudes florescem.
Assim amastes o Padre André Prévot.
Introduzindo-o no mistério do vosso Coração transpassado,
comunicastes humildade a ele,
o espírito de vítima,
a ternura filial por Maria Santíssima.
Acima de tudo, inflamastes seu coração com amor divino
e fizestes pulsar ao ritmo de uma caridade que excede todas as medidas.
Por esta razão oramos a Vós, ó Coração de Jesus,
para que glorifiqueis o vosso fiel servo e desperteis em nós o anseio pela santidade.
Guiai-nos no caminho da virtude,
especialmente na humildade e mortificação,
E, por sua intercessão,
Concedei a nós e aos nossos irmãos o presente da paz,
a graça que vos pedimos …
e a perseverança final em vosso Coração.
Amém.

Quero terminar dizendo algo muito importante. Não devemos apenas conhecer estes nossos mediadores e testemunhas diante de Deus. Convido você a orar por sua intercessão. Que eles nos ajudem em nosso próprio caminho. Que por meio deles nós também possamos nos tornar santos.

Artigo disponível em:

Inscreva-se
na nossa newsletter

SUBSCREVA

Siga-nos
nos nossos canais

 - 

Inscreva-se
na nossa newsletter