21 setembro 2020
21 set 2020

Novo sacerdote: P. Rodrigo Lopes de Araújo

Novo sacerdote: P. Rodrigo Lopes de Araújo
No dia 19 de setembro o nosso confrade Rodrigo Lopes de Araújo da Província Brasil São Paulo foi ordenado presbítero.
por  Wellyngthon Messias Mendes, scj

email email whatsapp whatsapp facebook twitter versão para impressão

No dia 19 de setembro a Congregação dos Sacerdotes do Sagrado Coração de Jesus ganhou mais um sacerdote. Na cidade de São Paulo, no bairro Casa Verde, onde mora a família do então Diácono Rodrigo Lopes. Sua ordenação presbiteral ocorreu na Paróquia Nossa Senhora da Consolata, nome da Congregação que a administra e que completou, em 2020, oitenta anos da sua primeira ordenação. Às 10 horas da manhã iniciou-se a celebração. Pela oração consecratória de Dom Jorge Pierozan, nosso confrade foi elevado à Ordem dos Presbíteros.

A cerimônia foi sóbria e contou com algumas pessoas de sua família, amigos, confrades e padres que conheceram o Padre Rodrigo Lopes em sua caminhada. Em nome do pároco, o Superior Provincial Padre Ronilton fez a acolhida ao senhor bispo e aos padres. O lema que P. Rodrigo escolheu para inspirar sua vida presbiteral é “sobre nós venha, Senhor a vossa graça, da mesma forma que em vós nós esperamos”, retirado do Salmo 32.

Dom Jorge, com seu jeito divertido, começou sua reflexão partindo de sua experiência como padre. Lembrou que nunca se deve utilizar o púlpito para questões políticas. Entra-se na Igreja da Cruz, pois o Fundador foi aquele que sempre dizia para darmos a outra face. A mesma Igreja também é da paz que somos todos convidados a ter e levar. Disse ainda que o presbítero é confrontado com as duas realidades da glória e da cruz. O povo vai cobrar respostas às suas perguntas, que precisam ser respondidas com cuidado e, às vezes, nem devem ser respondidas. O púlpito é o lugar de falar de Jesus e de seu evangelho.

Dom Jorge contou que pensou, durante a semana, em ir à ordenação episcopal de um seu colega… E disse a nós e ao diácono que pensou em terminar a ordenação às 12 horas e sair correndo e pegar um voo para a cidade em que estava acontecendo a ordenação. Toda a assembleia e o diácono riram porque quando pensou em fazer isso o voo foi cancelado. O bispo foi muito feliz em sua forma lúdica de transmitir a mensagem da leitura de Samuel, convidando o diácono a ser pastor e ter os olhos fitos em Jesus. Depois deu início ao rito da ordenação. Tudo nos convidou à oração, e foi aos modos do Padre Lopes que é uma pessoa que nos transmite grande alegria. Para o vestir, ele convidou Padre Cleiton que trabalha no Santuário São Judas. Padre Rodrigo Lopes não se conteve no momento em que, já de mãos ungidas e desatadas pelos pais, deu um forte abraço, entrou em prantos de emoção, pois estava vivendo o que tanto almejava.

Ao final Padre Ronilton dirigiu aos pais algumas palavras, dizendo que agora seu filho pertence a uma grande família e que eles também tem mais outros filhos por quem rezar. O pároco, Padre Moisés, dirigiu algumas palavras das alegria da paróquia em poder acolher sua ordenação e os preparativos. Padre Rodrigo fez um agradecimento a todos que ali se encontravam e bem como os que ali queriam estar, mas pela pandemia não puderam. Mas estavam rezando e participando pela página da Paróquia da Consolata.

Após a celebração o bispo convidou todos os familiares para o presbitério e disse, com jeito brincalhão, que como Padre Rodrigo não tinha um nome bíblico como seu irmão Jesus, mas que, como ele, queria salvar. Depois de receber as felicitações do povo, pela ordenação, acompanhamos o neo sacerdote ao salão da paróquia para uma confraternização, com sua família e seus amigos.

Primeira Missa de P. Rodrigo Lopes

No dia seguinte retornamos à Paróquia Nossa Senhora da Consolata para, às 10 horas participar da primeira missa do neo sacerdote. Antes, na sacristia, houve um momento de oração com a reza das orações próprias do padre segundo o missal, e a paramentação com a oração de cada paramento que o padre ia vestindo. Foi um momento muito bonito e significativo. Percebemos o quanto a Igreja e sua liturgia, rica em símbolos e ritos, nos ajuda a entrar no mistério que estávamos para celebrar.

Como toda a celebração eucarística o rito aconteceu como o costume e o Padre Lopes esteve atento às orientações do Padre Eduardo Pugliesi que foi seu cerimoniário. As leituras foram proclamadas por amigos do padre e o evangelho pelo diácono permanente da Paróquia da Consolata. O costume é de convidar um outro padre para proferir a homilia que, desta feita foi proferida pelo Padre Josimar da Província BRM e amigo de turma do neo sacerdote. Padre Josimar recordava que os dias 19 e 20 de setembro iniciaram muito tempo antes na vida do neo sacerdote pelo chamado do Senhor que sempre chama. E chama por um amor de predileção que é um tesouro confiado à nossa fragilidade. O evangelho de Mateus que providencialmente ouvimos hoje, do patrão que sai em busca de trabalhadores a cada hora, serviu para contar acerca das horas e etapas de nossa vida. Resumiu, também, um pouco da caminhada do Padre Lopes até a sua ordenação, além de pedir que estivesse sempre unido a Cristo, como dizia nosso fundador. O sacerdote deve ser visto dentro destas três características: homem do silêncio, da palavra e da alegria.

Padre Rodrigo deixou transparecer por seus olhos a alegria deste momento. Ao erguer o Corpo do Senhor fitou-o por um momento, demonstrando a vida e o zelo por aquilo que estava celebrando. Padre Lopes fez um curto agradecimento por esses dias e aqueles que ajudaram e prepararam, bem como o Pároco Moises. Ao final, dirigimo-nos outra vez ao salão para dar continuidade aos festejos desses alegres dias.

É sempre uma alegria participar de um momento único como este, de um irmão como o Padre Rodrigo Lopes, que nos cativa pelo seu jeito alegre. Que seja firme
nesta vocação e ministério contando com nossas orações.

Inscreva-se
na nossa newsletter

SUBSCREVA

Siga-nos
nos nossos canais

 - 

Inscreva-se
na nossa newsletter