25 setembro 2023
25 set 2023

Primeiro Encontro de Escolas Dehonianas reúne educadores do Brasil, Chile e Venezuela em Brusque

Objetivo do evento foi aproximar as instituições e discutir ações e projetos em comum


email email whatsapp whatsapp facebook twitter versão para impressão

Brusque foi sede entre os dias 14 a 16 de setembro, do 1º Encontro de Escolas Dehonianas da América do Sul. O evento, realizado na Casa Padre Dehon, reuniu representantes de oito instituições do Brasil, Chile e Venezuela, que fazem parte da Congregação dos Padres do Sagrado Coração de Jesus (SCJ).
O diretor do Colégio São Luiz, instituição anfitriã do encontro, padre Silvano João da Costa, afirma que o propósito do encontro foi de aproximar as educacionais e discutir ações e projetos em comum, a partir de cada realidade. “O objetivo foi conhecer, ver, e diante das vivências que cada colégio realiza, cada vez mais engrandecer e qualificar os trabalhos das outras educacionais”, diz.
Durante o evento, os educadores mergulharam em um estudo denso das vivências do carisma de Padre João Leão Dehon, fundador da Congregação SCJ. “Nosso fundador pensava na pessoa como um ser humano integral e esses valores foram discutidos e atualizados durante o encontro. Queremos ser uma escola dehoniana, nos tempos atuais”.
De acordo com o diretor, o encontro também serviu para criar laços, compartilhar experiências e fazer com que a comunhão entre essas escolas seja uma realidade cada vez mais forte.

Parcerias

Após três dias de intensas discussões e estudos, os participantes do encontro traçaram deliberações que devem manter as instituições próximas umas das outras.
Um dos principais pontos elencados foi a criação de uma comissão que possa se reunir periodicamente para promover projetos que expressem a comunhão e fortaleçam o carisma dehoniano com eventos, encontros e registros. “Surge para nós a possibilidade de um Guia Educacional Dehoniano, ou seja, uma proposta de ensino colocada no papel e compartilhada com as educacionais”.
Padre Silvano também destaca a abertura para intercâmbios entre as instituições da Congregação SCJ na América do Sul, bem como o compartilhamento virtual de experiências e vivências dos professores.

Futuro

O diretor do Colégio São Luiz afirma que o desejo de todos os participantes é que as instituições possam ter um calendário comum das escolas dehonianas da América do Sul, continuando o trabalho que foi iniciado durante o encontro, em Brusque.
“Diante dos laços que criamos nesses dias, das propostas e do ideal comum que temos, é possível fazer uma bela caminhada daqui em diante, contando com os dons que cada colaborador, e cada aluno tem nas suas escolas. São dons que podem ser compartilhados em projetos de unidade, de comunhão e respeito, para que façam permanecer aquilo que Padre Dehon tanto queria: construir uma civilização do amor”.
Participaram do 1º Encontro de Escolas Dehonianas da América do Sul: o Colégio São Luiz, de Brusque; o Instituto Sagrado Corazón, do Chile; a Escola San Juan Evangelista, do Chile; a Escola Técnica Padre Dehon, da Venezuela; a Escola Paroquial Nossa Senhora de Fátima, de Paulista (PE); o Colégio ESIC, de Curitiba (PR); o Instituto Meninos de São Judas Tadeu, de São Paulo (SP) e a Faculdade Dehoniana, de Taubaté (SP).

Superior geral da congregação prestigia o encontro

O 1º Encontro das Escolas Dehonianas da América do Sul foi acompanhado de perto pelo superior geral da Congregação dos Padres do Sagrado Coração de Jesus (SCJ), padre Carlos Luis Suarez Codorniú.
Nascido nas Ilhas Canárias, na Espanha, padre Carlos atuou durante 30 anos na Venezuela e, em 2018, foi eleito superior geral da Congregação. Ele esteve pela primeira vez em Brusque em 1990, quando veio fazer sua preparação para os votos perpétuos, uma etapa da preparação religiosa. “Foi aqui, na Casa Dehon. E é uma alegria estar de volta tantos anos depois”, diz.
Ele veio direto de Roma, onde fica a sede da Congregação SCJ, para acompanhar os trabalhos de aproximação das educacionais da América do Sul. “Esta é a primeira vez que estamos trabalhando juntos para construir uma rede capaz de compartilhar ideias, docentes e demais profissionais no mundo da educação. É uma necessidade importante na vida da Igreja e da sociedade como um todo”, afirma.
Segundo ele, é preciso discutir e fortalecer a reflexão sobre como preparar a criança e o jovem que a América do Sul precisará no futuro. “Estamos formando agora os homens e as mulheres do futuro. Precisamos preparar gente com coração, com sensibilidade e com inspiração cristã para responder aos desafios de uma sociedade que tem problemas de todo o tipo. É muito importante essa aproximação pois, mesmo em realidades diferentes, os objetivos e os desafios são comuns”.
O superior geral afirma que para a Congregação SCJ, é de extrema importância manter os centros educacionais fortalecidos no mesmo ideal, passando adiante os valores idealizados por Padre Dehon. “Trabalhar com os mais novos é ter o futuro nas mãos. Somos conscientes da realidade, das limitações e dos problemas, mas temos que buscar sempre soluções. E a juventude é sempre um caminho. Por isso, para nós, da Congregação, manter centros educativos em todo o mundo é um presente e uma grande responsabilidade, porque nos comprometemos em dar o melhor para que as crianças e os jovens, depois, possam dar o melhor de si mesmos para o bem de todos”, reflete.

Valorização das educacionais

Padre Silvano afirma que a presença do superior geral demonstra o quanto as escolas são valorizadas pela Congregação. “Ele é o sucessor de padre Dehon e tê-lo conosco nesses dias, faz-nos dizer: somos valorizados, as educacionais são valorizadas”.
O diretor do Colégio São Luiz ressalta que a presença de padre Carlos também aumenta a responsabilidade do trabalho iniciado no encontro. “Somos valorizados e, ao mesmo tempo, somos responsabilizados para que dentro dessas obras valiosas, possamos dar continuidade. Foi uma presença que engrandeceu o evento e nos deu a certeza de que nossas escolas são prioridade para a nossa Congregação”.

Encontro trabalhou a metodologia “Ver, Julgar e Agir”

O padre brusquense, João (Joãozinho) Carlos Almeida, presidente da Associação Dehoniana Brasil Meridional (ADBM), mantenedora das obras educacionais e de assistência social da Congregação dos Padres do Sagrado Coração de Jesus, também esteve presente no encontro. Ele foi um dos assessores, ao lado do padre Luís Chocarro Martín.
Segundo padre Joãozinho, o encontro seguiu a metodologia do “Ver, Julgar e Agir”. No primeiro dia, os participantes tiveram a fase do “Ver”, em que compartilharam o trabalho que está sendo feito em cada escola dehoniana na América do Sul. O segundo dia foi dedicado ao “Julgar”, com a apresentação da pedagogia dehoniana da cordialidade na vida de Padre Dehon e, também, nos recentes encontros de educadores dehonianos. Por fim, no terceiro dia, foi a etapa do “Agir”, ou seja, a partir do que foi debatido, se traçaram deliberações para o futuro.
“Tivemos a proposta de criação de uma comissão ou de um fórum, formado por um grupo de pessoas que coordenem as ações da educação dehoniana na América do Sul. Essa proposta será levada para o Encontro da Comissão Central, em Roma, e, se aprovada, será constituída até o fim do ano”, explica padre Joãozinho.
Outra proposta foi a promoção do intercâmbio entre as escolas e a criação de uma plataforma digital de encontro permanente entre professores, alunos, colaboradores e pais, para que a visão dehoniana de educação permaneça sempre viva em cada colégio.
Padre Joãozinho também destaca o memorial dos 100 anos da morte de Padre Dehon, e que outras ações para marcar a data também já começaram a ser discutidas no encontro.
“Uma conclusão é que o ano de 2025 será muito importante para nós, pois completa 100 anos da morte de Padre Dehon, no dia 12 de agosto de 2025. Até lá, essa comissão que foi proposta, tomará todas as sugestões para criar uma semana de estudos dehonianos, um jornada dehoniana, um teatro sobre a vida do fundador ou um Guia do Educador Dehoniano. Teremos dois anos para, quem sabe, em 2025, realizar o 2º Encontro de Educadores Dehonianos da América do Sul”.

Objetivo comum

O padre Sildo César da Costa, superior da Província Brasil Meridional (BRM), enaltece a importância de unir as instituições em prol de um objetivo em comum. “Conseguimos ver a realidade de tantas obras educacionais que temos na América Latina e o compromisso de evangelização e de formação de pessoas. O encontro foi um momento de partilha, de perceber quantas coisas bonitas fazemos e que nós, vivendo o dia a dia, muitas vezes não percebemos”.
Segundo ele, o encontro em Brusque serviu para o alinhamento das educacionais. “Uma das coisas importantes do encontro é o que ele vai trazer para o futuro: alinhar-se melhor dentro de uma educação dehoniana própria. Demos o primeiro passo para quebrar as barreiras de fronteiras, até porque com as novas realidades vivenciadas, as proximidades são maiores do que as distâncias”.
Assessor do encontro ao lado de padre João Carlos Almeida, o padre Luís Chocarro Martín, também esclarece o intuito do evento, seguindo sempre os princípios do carisma do fundador da Congregação SCJ. “Vejo como uma riqueza muito grande essa possibilidade de trabalhar conjuntamente com um carisma. Quando unimos as atividades, unimos o carisma dehoniano, que é a base fundamental para entender o amor de Deus para transformar crianças e jovens”.

Inscreva-se
na nossa newsletter

SUBSCREVA

Siga-nos
nos nossos canais

 - 

Inscreva-se
na nossa newsletter

Leia a Política de Privacidade e escreva para