22 fevereiro 2021
22 fev 2021

Ordenação sacerdotal e Jubileu da Província dos Camarões

No sábado, 13 de fevereiro de 2021, os dehonianos dos Camarões se reuniram no Escolasticado Internacional Jean Dehon em Ngoya para uma dupla celebração: a ordenação sacerdotal do diácono Valéry Ngono, scj e a abertura do ano jubilar da Província dos Camarões.

por  Boris Igor Signe, scj

email email whatsapp whatsapp facebook twitter versão para impressão

Escolasticado Internacional Jean Dehon

A Casa de Formação Jean Dehon em Ngoya é, nas palavras do historiador P. Joseph Kuaté, scj, “uma das casas mais internacionais da Congregação desde sua abertura”. De fato, mesmo antes da sua construção em 1988, os escolásticos que viviam na pequena comunidade André Prévot em Yaoundé já eram um grupo internacional vindo dos Camarões e do Congo. Foi com o objetivo de aproximar a comunidade de estudantes da Escola Teológica São Cipriano que um escolasticado foi construído na época em um terreno de 4 hectares não muito longe da Escola Teológica, com o apoio material de várias Províncias: “De fato, era toda a Congregação que era sensível à necessidade de os Camarões se dotarem de uma estrutura para a formação dos jovens”, testemunhou o P. Siou.  Desde sua inauguração em 1 de julho de 1990, com três escolásticos no início (Fratres Engelbert Fotsing, Albert Lingwengwe e Léonard Ghomo), o Escolasticado Internacional Jean Dehon forma atualmente vinte e um dehonianos de quatro nacionalidades. Em mais de trinta anos de existência, a Casa Jean Dehon formou vários Sacerdotes do Sagrado Coração de Jesus de Camarões, Congo, Angola, Moçambique, Índia e África do Sul. Esta internacionalidade, tão cara aos dehonianos, é uma grande riqueza para o escolasticado de Ngoya. Para o P. Jean Marie Ngombou, formador há vários anos, permite não só a abertura e o interesse dos confrades em descobrir outras culturas, mas também o desenvolvimento no nível da equipe de formação. No entanto, ele reconhece alguns desafios que esta casa internacional enfrenta: a compreensão e harmonização das diferenças culturais; os sérios desafios econômicos que trazem consigo um déficit na manutenção das infraestruturas e da frota de automóveis: “Temos dois ônibus, usados no transporte dos estudantes, que envelheceram muito e não há nem mesmo a promessa de mudá-los ou melhorá-los”. E acrescenta: “Se quisermos investir aqui, acho que devemos nos concentrar na infraestrutura, meios de transporte para os jovens, e depois melhorar ainda mais a estrutura de formação, para que ela realmente atenda ao padrão de uma casa internacional”.

Uma ordenação inédita

No sábado passado, no Escolasticado Internacional de Ngoya, Camarões, ocorreu um evento sem precedentes: uma ordenação sacerdotal. Pela primeira vez em sua história, a Casa Jean Dehon organizou a ordenação sacerdotal de um confrade, P. Valery Gilbert Ngono Onana, scj, em suas instalações. Segundo o reitor do escolasticado, P. Michel Mandey, foi um sucesso tão grande que gostaríamos de organizar mais eventos no escolasticado: “Com a experiência que tivemos, eu acho que é algo que pode se tornar viável. Eu poderia até dizer que seria o ideal”. Para além das organizações e das belas festividades, P. Valery, o neo sacerdote, não deixou de se concentrar na profundidade do sacramento que recebeu: “Para mim, o sacerdote é uma espécie de pastor a quem o Senhor dá o encargo de seu rebanho; ele é um humilde servo de Cristo. Ele é um humilde servo de Cristo. Ele deve exercer seu ministério à imagem de Cristo, o Sumo Sacerdote e Bom Pastor. Ele é um humilde servo de Cristo”. A missa de ordenação, que foi maravilhosamente bem organizada, foi presidida pelo Bispo Dom Sosthène Laopold Bayemi, Bispo da Diocese de Obala, na região central dos Camarões. Além da grande mobilização de todos os confrades e do pessoal do escolasticado, houve também uma forte presença de confrades dehonianos de outros lugares, vários outros padres e religiosos, sem esquecer os familiares do neo sacerdote, assim como seus amigos e conhecidos.

O P. Valery Gilbert, que entrou para a Congregação em 2010, fez sua primeira profissão em 12 de agosto de 2012 em Ndoungué. Em seguida, seguiram-se três anos de estudos filosóficos em Yaoundé. Após um ano de estágio na vida religiosa, ele voou para o Brasil onde completou quatro anos de estudos de Teologia em Taubaté, onde foi ordenado diácono. E agora padre em seu país de origem.

A Província dos Camarões

Durante esta mesma celebração eucarística, os dehonianos dos Camarões também celebraram a solene abertura do ano jubilar de seus 25 anos de existência como Província. A transição de Região para Província foi fruto de um projeto que foi amadurecendo nos Camarões há vários anos. Finalmente, em 30 de novembro de 1995, pela declaração do Governo Geral em Roma que Camarões se tornou a 22ª Província da Congregação e a terceira na África depois do Congo em 1964 e da África do Sul em 1994. Mas a celebração da ereção canônica propriamente dita não ocorreu até 13 e 14 de junho de 1996 em Nkongsamba, com a inauguração do novo governo provincial composto pelos Padres André Conrath, Superior Provincial, e quatro conselheiros: Alphonse Huisken, Antonio Panteghini, François Rietsch e David Tachago. Naquela época a jovem Província tinha 38 membros: 25 padres, 4 irmãos, 6 escolásticos e 3 noviços. Vinte e cinco anos depois, conta agora com 127 membros e 6 noviços. Foi também para celebrar este jubileu de prata da Província dos Camarões que vários confrades viajaram neste fim de semana para Ngoya, onde um bolo especialmente feito para a ocasião foi cortado pelas mãos do Superior Provincial, P. Jean Marie Signié, acompanhado pelo Bispo Dom Sosthène Bayemi, celebrante principal, P. David Tachago, Vigário Provincial e o neo sacerdote, P. Valery Ngono.

Inscreva-se
na nossa newsletter

SUBSCREVA

Siga-nos
nos nossos canais

 - 

Inscreva-se
na nossa newsletter