23 junho 2021
23 jun 2021

#scjnews l 9

#scjnews l 9
Entrevista com o P. Carlos Luis Suárez Codorniú, por ocasião da visita fraterna à Província Dehoniana do Sul da Itália (ITM), de 3 a 25 de maio de 2021.
por  Sergio Rotasperti
email email whatsapp whatsapp facebook twitter versão para impressão

Os confrades da província do sul da Itália ficaram muito felizes por tê-lo acolhido como confrade. Eles reconheceram em você o sinal da unidade da Congregação. O que isso significa para você?

Fazer uma visita a uma entidade é sempre uma alegria porque se conhece os irmãos, sua missão e o sentido de comunhão cresce. Os confrades mostraram um forte senso de pertença à Congregação. A visita foi também uma oportunidade para nos atualizarmos sobre o momento atual que estamos vivendo.

Há anos a província ITM vem se empenhando num processo de redução de tamanho baseado nestes critérios: fidelidade ao carisma dehoniano, revitalização da vida comunitária, presença no mundo da juventude, abertura à missão ad gentes, presença em contextos mais pobres. Tendo em vista a queda acentuada do número de confrades e do envelhecimento, quais você acha que são as prioridades para o futuro?

Há uma prioridade que acredito ser comum e transversal a todos os critérios: continuar o discernimento empreendido. Ouvir uns aos outros e as realidades em que estamos envolvidos, é vivido com seriedade. Tenho notado que a dimensão fraterna também é levada muito a sério. Há algumas opções importantes: a proximidade com os jovens universitários, o uso da mídia, a oferta de centros de espiritualidade. De modo geral, notei uma província que é muito animada em seu serviço e compromisso.

Em recente entrevista, o Padre Ciro, Superior Provincial, fez um pedido de ajuda à Congregação para apoiar a missão na Albânia. Você já falou sobre isso, pode nos falar sobre isso?

A primeira visita que fiz no início do meu serviço com o P. Artur Sanecki foi à Albânia. Queríamos começar na periferia, para entender a realidade que nossos confrades vivem. A Albânia é uma periferia humana, da Europa, da história. Nossos confrades estão realizando um magnífico serviço. Os jovens também têm se envolvido em trabalho voluntário (My Mission – Minha Missão). Entretanto, é necessário fortalecer a presença dos confrades, já que é uma obra não só da província ITM, mas de toda a Congregação. Há agora um confrade que está se preparando e espero que haja outros disponíveis. O desafio que a Albânia representa é também um desafio cultural.

Há alguns dias, a Teledehon se tornou uma rede nacional. Este é um objetivo significativo no campo da evangelização e do conhecimento do carisma dehoniano. Que valor tem esta forma particular de apostolado da província ITM para toda a Congregação?

É um grande valor que está de acordo com o que P. Dehon queria. Nosso fundador também utilizou os meios de comunicação (por exemplo, a revista “O Reino do Sagrado Coração nas Almas e na Sociedade”) para comunicar o evangelho que ele tinha dentro de si mesmo. Os Dehonianos da Itália sempre tiveram uma grande sensibilidade neste campo. Este é um compromisso que requer preparação e colaboração. E é um desafio que os confrades realizam com alegria e paixão. A Teledehon cresce cada vez mais e entra em comunicação com dioceses e grupos católicos. Ajuda a apresentar um pensamento comum.

Em poucos dias começa a assembléia provincial dos Dehonianos do Norte. Você não acha que os recursos e os projetos devem ser unificados entre as duas províncias italianas? Em que aspectos, na sua opinião, as duas províncias italianas deveriam caminhar mais juntas?

Entre as duas entidades nunca houve uma divisão total, para ser entendida como indiferença. Há religiosos no norte e no sul onde o desejo de se aproximar, de compartilhar está vivo. Estou pensando, por exemplo, no trabalho comum no mundo dos jovens. Certamente podemos fazer mais, mas tudo provém do interesse mútuo de conhecer e compreender uns aos outros. Os SCJs podem dar uma grande contribuição ao serviço da Itália, que é rica em patrimônio. Há o desejo, a vontade e a possibilidade. É uma questão de colocar passos concretos na agenda.

Inscreva-se
na nossa newsletter

SUBSCREVA

Siga-nos
nos nossos canais

 - 

Inscreva-se
na nossa newsletter

Leia a Política de Privacidade e escreva para