Assembleia anual dos dehonianos da Venezuela

Eventos » Venezuela » 3 abril 2021

Os dehonianos da Venezuela se reuniram em assembleia em meados de janeiro. Pe. Carlos Luis Suárez, Superior Geral, transmitiu uma mensagem via ZOOM convidando-os a aprofundar a fraternidade.

por  Ángel Volcán, scj

email email whatsapp whatsapp facebook twitter versão para impressão

Os Sacerdotes do Sagrado Coração de Jesus da Região da Venezuela estiveram reunidos em assembleia na Casa do Sagrado Coração de Jarillo, no Estado de Miranda, de 11 a 14 de janeiro de 2021. Dias de reunião e partilha após tantos meses de isolamento e permanência em casa por causa da COVID-19. Por razões internas ao país de escassez de gasolina, o ônibus da casa de retiro pôde se deslocar pelas comunidades, assim como alguns puderam reabastecer e se aproximar com os seus veículos.

A assembleia começou com o almoço naquele dia e, na tarde de 11 de janeiro, P. Alejandro Iglesias, Superior Regional, abriu a reunião com uma recepção formal.  P. Carlos Luis Suárez, Superior Geral, transmitiu via ZOOM uma mensagem da Cúria Geral carregada de emoção para encorajar, saudar e desejar um abençoado dia de trabalho para a Região nesses tempos difíceis, convidando a aprofundar a proximidade e a fraternidade comunitária como uma particularidade ou gesto diário e natural.

Atualmente a Região tem 13 obras animadas por 7 comunidades em 6 lugares na Venezuela. São 24 religiosos, 5 de origem espanhola e 19 venezuelanos, além de 1 noviço no Brasil e 5 aspirantes na Casa de Formação Filosófica Padre Dehon.

Durante esses dias, o tema abordado foi a Encíclica Fratelli Tutti. P. Juan Yépez animou o segundo dia de assembleia, enfatizando que a abordagem da encíclica será feita de forma tímida a partir de pinceladas que ajudem a entrar na proposta papal para alcançar uma humanidade sonhada, que vai além de reuniões e gestos altruístas, mas para alcançar o objetivo de sermos irmãos e irmãs. Dinâmica que ajudou aos reunidos em assembleia a detectar tal proposta do carisma, sublinhando a importância da escuta e do silêncio como capacidade de comunicação sábia, coexistência saudável na qual a reconciliação e o perdão são evidentes, dando lugar à reparação e à construção de uma nova sociedade.

P. Manuel Torres, no terceiro dia da reunião, dirigiu-se à assembleia lembrando que a economia, além dos números e das entradas administrativas, é uma expressão clara e uma medida quantificável do nosso voto de pobreza, que não é um voto a ser vivido sem convicção. Ele enfatizou a importância de comunicar não apenas a partir dos sentidos, o que eu sinto, mas de expressar com objetividade e transparência os dados econômicos, desempenhando um papel fundamental a experiência e o carismático. Ele sublinha a gratuidade, a fidelidade criativa e a capacidade de moldar e estabelecer movimentos administrativos e econômicos, que devem ser pensados, cuidados e gerenciados. Para a administração de uma comunidade é preciso fazer e rezar.

Durante esses dias, os participantes da assembleia tiveram a oportunidade de rezar, ouvir, contemplar, expressar e projetar o que é desejado como Região, pedindo a Deus que o Sint Unum possa realmente acontecer na tarefa que lhes foi confiada nessas terras venezuelanas.

Inscreva-se
na nossa newsletter

SUBSCREVA

Siga-nos
nos nossos canais

 - 

Inscreva-se
na nossa newsletter