30 setembro 2020
30 set 2020

Que iniciativas sociais tivemos como dehonianos neste tempo de pandemia?

“O trabalho dos religiosos dehonianos nesta pandemia concentrou-se em responder às necessidades das pessoas ao nosso redor, especialmente as mais desfavorecidas e atingidas pela doença”.

por  Félix Blanco, scj

email email whatsapp whatsapp facebook twitter versão para impressão

As diversas entidades dehonianas na América Latina quiseram responder às diversas necessidades que surgiram nestes tempos difíceis e, é claro, continuar a responder àquelas que já existiam.

“Quem diz que Deus está morto
que saia à luz e veja
se o mundo é ou não obra
de um Deus que ainda está desperto.
O deserto não é mais seu lugar
nem na montanha ele se esconde;
diga, se eles perguntarem onde,
que Deus está, sem uma mortalha,
onde um homem trabalha
e um coração responde a ele”.

Fazemos a introdução com este hino da liturgia das horas porque em nossas mãos e em nosso coração está também o Coração de Deus, o Coração de Jesus que vai em busca dos mais necessitados.

Equador:

No Distrito do Equador, nosso trabalho social tem sido fornecer principalmente alimentos, remédios, máscaras, material sanitário e de higiene, assim como testes e exames de vários tipos.

Em Quito, contamos com a colaboração da Cáritas Diocesana e do Ministério da Inclusão Econômica e Social (MIES), juntamente com outras instituições privadas. Uma cesta de alimentos não perecíveis também foi dada às famílias mais desfavorecidas da Paróquia Santa María de la Argelia. No momento, 70 cestas semanais estão sendo fornecidas.

Outra ação significativa, que nasceu como uma iniciativa de alguns leigos comprometidos na Paróquia, é o projeto de acompanhamento on-line “Contigo“, destinado às pessoas que estão à beira da depressão devido à pandemia.

Na Bahía de Caráquez temos colaborado com a Prefeitura, com a fábrica de embalagem Búfer (que foi um grande apoio nos trabalhos de reconstrução após o terremoto de abril de 2016), assim como também com doações de paroquianos e amigos de todo o país e do exterior.

As instalações da Domus Cordis também foram cedidas para abrigar o pessoal da segurança e a Igreja Paroquial Sagrado Corazón tem sido um centro de coleta de alimentos para toda a Bahía.

O trabalho dos restaurantes populares “Padre Dehon” em Finca e da Paróquia de “la Merced” em Bellavista merece uma menção especial. Todos os dias são distribuídos mais de 350 almoços para as crianças e famílias que fizeram parte dos projetos, assim como para novos usuários. A cada dia, um membro da família retira a cesta de alimentos já preparada.

A Congregação colaborou com a Prefeitura na criação de um Centro de Isolamento para pacientes com Covid-19, fornecendo duas máquinas de oxigênio, material sanitário, recipientes para alimentos e cobertores impermeáveis para colchões.

Em resumo, o trabalho dos religiosos dehonianos nesta pandemia concentrou-se em responder às necessidades das pessoas ao nosso redor, especialmente as mais desfavorecidas e atingidas pela doença. Tem se acompanhado pastoral e socialmente, com humildade e simplicidade, procurando ser profetas do amor diante dos novos rejeitados e servidores da reconciliação em uma sociedade fragmentada pela pobreza, pela corrupção política e pelo colapso das instituições de saúde.

 

Inscreva-se
na nossa newsletter

SUBSCREVA

Siga-nos
nos nossos canais

 - 

Inscreva-se
na nossa newsletter